“Arbitrage” é o novo thriller de Nicholas Jarecki, onde temos Richard Gere como protagonista da trama, que interpreta Robert Miller, um magnata que aparentemente possui um império de sucesso, mas cada dia que passa encobre as suas fraudes, tentando vender o que lhe pertence.

Contudo, para além disto, Miller tem uma caso extra-conjugal e, quando decide “fugir” com a sua amante, mete-se num grande problema, após um acidente de automóvel. A partir deste ponto, o milionário terá que lidar com todas as condições a que está submetido, pois está numa grande teia de problemas e dilemas.

A forma como a narrativa é construída é bastante interessante, visto que vemos a dita teia de Robert Miller dividida em três focos. Este terá que lidar com os negócios que estão em plena decadência, com os problemas familiares que incluem a sua filha e esposa e, também, o uso de um amigo com pouco poder, avaliando até que ponto é usado materialismo.

Não é um grande filme, mas é um drama bem passado, em que se aprende como é possível descer tão rápido do mundo grandioso e enriquecido, bem como nos problemas causados quando uma vida é passada à base das mentiras e ocultações. É curioso que o realizador ainda deixou em aberto parte da história, para realçar que apesar de uma dia “tudo se pagar”, este mundo milionário continua de igual forma, com corrupção e sarcasmo a liderar.

Assim, “Arbitrage” não possui uma narrativa original, mas ganha pelo dinamismo, associação e exposição de conflitos da vida de Robert Miller.

Nota Pessoal: 6,2/10

Arbitrage
M12|Drama, Thriller|EUA|107m, IMDB: 6,8/10 (4,943 votos)
Anúncios