“O Lorax” é o recente filme de animação produzido por Chris Renaud e Kyle Balda, os mesmos criadores de “Gru, o Maldisposto”, e é uma adaptação do clássico literário Dr. Seuss. A história foca-se num menino de doze anos, Ted, que faz de tudo para encontrar uma árvore para oferecer à rapariga por quem está apaixonado, de forma a obter afeto dela. Conseguir uma árvore parece simples, mas neste caso não o é, dado que na cidade não existem árvores há já muitos anos. Com a ajuda da avó, Ted sai da cidade e depara-se com Once-Ler, um senhor com alguma idade que conta a sua história e, também a de Lorax, a sábia criatura defensora da Natureza contra as ações humanas. Once-Ler tinha o objetivo de ficar rico e com a sua ganância e egoísmo destrói todas as árvores, em prol de dinheiro e fama. Já Ted, inicialmente, também desejava obter uma árvore para satisfazer a sua ideia apenas para iludir a rapariga dos seus sonhos, mas após ouvir a história de Once-Ler faz de tudo para recuperar o que este destruiu, bem como alterar a mentalidade dos citadinos, que até aí habituaram-se à tecnologia e comodidade, sem ligarem alguma à importância do nosso planeta.

Posto isto, o filme de animação não é considerado dos melhores dos últimos anos, mas tem uma narrativa adorável e, ainda o mais importante, possui uma atrativa mensagem ecológica contra a desflorestação e alerta acerca da proteção ao planeta Terra. Assim, é um filme direcionado para todas as idades, em que nos faz ver que não nos podemos esquecer dos bens naturais fundamentais para a qualidade de vida humana.

Contudo, como pontos negativos, destaco para o facto de Lorax não ter revelado um papel tão fulcral como era de esperar, pois só aparece na história de Once-Leer, como também as fracas e escassas cenas musicais que são algo essenciais para captar a atenção do público, sobretudo o infantil.
Finalmente, um filme encantador que transmite uma lição ambiental para a toda a família.

Lorax
M6|Animação, Comédia, Familia|EUA|86m, IMDB: 6.4/10 (14,917 votos)
Anúncios